Clímaco Ramos Diniz

Diamantina, MG, 1 abr 1910

Belo Horizonte, MG, 1 dez 1977

 casou-se com Maria Eustela Mourão de Miranda

Em 1939, Clímaco adquiriu um terreno em Pinheiro, distrito de S. João da Chapada e uma casa com respectivo terreno no Arraial dos Forros em Diamantina dos herdeiros de Dona Salvina Augusta Chaves, também presente nesta árvore genealógica.
Foi industrial e comerciante.

Sobrenome Ramos
Sobrenome Diniz

Fonte: site Nossa Gente Genealogia - www.nggenealogia.com.br
Árvore genealógica Parentes próximos Descendentes Galeria de fotos

Maria Eustela Mourão de Miranda (Tetela)

Diamantina, MG, 1 abr 1910

Belo Horizonte, MG, 1 dez 1997

Nome de casada: Maria Eustela Maria Eustela Miranda Diniz

 casou-se com Clímaco Ramos Diniz

Irmãos:
Maria Nilda de Miranda Mourão (1900 - 1997)
Carlos Mourão de Miranda (1901 - 1902)
Carlos Mourão de Miranda (1902 - 1951)
Alberto Mourão de Miranda (1903 - 1904)
Alberto Mourão de Miranda (1904 - 1905)
Alberto Mourão de Miranda (1906 - 1968)
Olímpio Mourão de Miranda (1907 - 1967)
Heráclito Mourão de Miranda (1909 - 1989)
Yolenita Mourão de Miranda (1910 - 1925)
Maria Solange Mourão de Miranda (1913 - 1985)
Mariana Jofrina Mourão de Miranda (1914 - 1998)
Newton Mourão de Miranda (1915 - 1917)
Maria Vanita Mourão de Miranda (1917 - 2003)
Maria Olinta Mourão de Miranda (1918 - 1982)
Maria Antonieta Mourão de Miranda (1921)

Em celebração pelo passamento de D. Tetela, seu filho Vero leu o seguinte texto:
Tetela, minha Mãe, quando solteira e jovem era uma pessoa ativa, alegre, tocando piano no cinema mudo, promovendo festas e reuniões, ensinando canto, música, ginástica; fazia seus vestidos e chapéus.
Quando se casou com Clímaco, preferiu uma vida de dedicação aos filhos e ao lar. Trabalhava na escola G. E. Mata Machado, de Diamantina, e freqüentava pouco a sociedade. Mesmo assim, quando iam músicos famosos a Diamantina, ela era requisitada a participar e a exibir seus dotes musicais.
De infinita paciência e resignação, exemplo de santidade, sempre tinha a palavra de conforto ao filho que recebia o corretivo paterno, e, às vezes, o protegia. Educava com brandura. Pessoa muito religiosa e virtuosa, ensinou-nos o catecismo, iniciou-nos na religião católica, deu-nos seu exemplo.
Nosso irmão, Sebastião, observou que ao final de uma existência tão profícua e tenaz, demonstrando tanta persistência e denodo, ela tinha uma mensagem para passar aos filhos. Qual seria?
HUMILDADE: quando deixou a Clímaco o comando da família;
RESIGNAÇÃO: quando dizia "em minha modesta opinião";
UNIÃO: mantendo seu casamento indissolúvel, ensinou aos filhos a se manterem unidos;
PACIÊNCIA: nos momentos adversos e provações;
FRATERNIDADE: sempre dedicada à família e condescendente com o próximo;
SAPIÊNCIA: ensinando e acompanhando o estudo dos filhos (Francês e Português), ensinando as soluções dos problemas da vida, ensinando aos seus alunos na escola, dando seu exemplo.
PERSISTÊNCIA: com denodo resistiu às diversas crises de sua prolongada enfermidade, antes de Deus chamá-la a sua morada.
FICA A SAUDADE!

Sobrenome Mourão
Sobrenome Miranda

Fonte: site Nossa Gente Genealogia - www.nggenealogia.com.br
Árvore genealógica Parentes próximos Descendentes Famílias às quais pertence Galeria de fotos
Tiveram 6 filhos.
Marco Antônio Miranda Diniz (1943 - 2001)Frederico Miranda Diniz (1946)
Tito Miranda Diniz (1948)Ferdinando Miranda Diniz
Sebastião Miranda DinizVero Miranda Diniz